quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO EM TEMPOS DE CRISE

Fonte: agência FBK

Dizem que o pior da crise económica internacional já passou, ainda assim ela não acabou totalmente. Vivemos numa altura muito diferente daqueles “tempos áureos” de umas décadas atrás. Este cenário colocou as marcas num patamar diferente em termos de comunicação com o público. Antigamente, os consumidores tinham muito mais poder de compra e menos acesso a informação, cenário que hoje em dia não se verifica. Houve uma alteração de paradigma, o poder de compra tornou-se menor e a informação é muitíssimo mais enraizada e massificada.

É neste contexto que as marcas actuam. A concorrência é cada vez mais feroz, o consumidor é cada vez mais atento e selectivo e as facilidades de outrora já não existem. Actualmente existe a necessidade imperativa de as marcas comunicarem de maneira mais segmentada e criativa e é desta forma que vão cativar a sua franja de público, é assim que vão conseguir superar a concorrência e é desta maneira que vão conseguir manter a sua posição no mercado.

Fonte: blog do acelerato

Podemos então perceber que numa altura como esta (por ventura, até mais do que nunca) é fundamental continuar ou até reforçar a aposta na comunicação. Assim irá conseguir vencer os desafios que se colocam às marcas, através de um público de exigência máxima.
Chegar até ele e saber como conquistá-lo são dois aspectos que as marcas deverão dar a máxima atenção.

Neste cenário, trabalhar com profissionais experientes e capazes é meio caminho andado para o alcançar do sucesso de uma marca. Profissionais que “tratem a comunicação por tu” são aqueles que irá querer ter junto da sua marca - juntos vão conseguir destacar-se no contexto económico actual.

Contacte-nos!


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

COMO CRIAR UM VÍDEO VIRAL

Este é o sonho de qualquer marca e até de muitos dos “comuns mortais”! Alguns conseguem, outros tentam, tentam, tentam... e não conseguem. Conseguir elaborar um vídeo que consiga atingir o status de “viral” requer muito trabalho, esforço e, sobretudo, criatividade máxima (por vezes, acontecem situações do dia-a-dia que se podem tornar virais, no entanto esse tipo de situação dificilmente será aplicado a uma marca).
Os benefícios inerentes ao sucesso do vídeo são muitos. A marca consegue ser falada por muita gente e consegue ser muito partilhada nas redes sociais ou até mesmo nos media mais tradicionais.
Para que isso seja conseguido existem alguns passos que são fundamentais serem dados e são alguns desses passos que vamos indicar já, já, já - ora veja:

1 – Preparação
É necessário que exista uma ideia pensada e trabalhada, que deve assentar na supressão de uma necessidade que o nosso público possa ter ou num apelo emocional que faça com que as pessoas se identifiquem com determinada situação. Outra abordagem que poderá resultar é a inclusão de humor, mistério ou desafio. Tudo isto fará com que o público se interesse pelo vídeo e, em última instância, pela sua marca, conteúdo, produto... resultando em vendas (assim se espera).
Também já deverá ter uma ideia como se vai processar a divulgação (para ajustar a execução ao formato e plataforma)

2 – Execução
Fundamental seguir o plano traçado e encaminhar essa execução para profissionais experientes e capazes de desempenhar o trabalho na perfeição. Só assim irá ter os melhores resultados possíveis. É importante escolher bem a música ou efeitos sonoros e efectuar uma montagem que “aguce o apetite” a quem está a ver. É desta forma que vai conquistar a sua atenção.
Criatividade, destreza e experiência são muito importantes neste tipo de conteúdo.

3 – Divulgação
Depois de cumprir na perfeição os dois pontos anteriores, é necessário proceder-se a uma divulgação eficaz do vídeo e esperar que o público comece a “trabalhar”- isto é, também eles façam a divulgação. Desta forma o vídeo tornar-se-á viral, a sua marca chegará ao topo e estará nas “bocas do mundo”!

Respeitando estes três conceitos, trabalhando com profissionais experientes e criativos, existirá uma maior probabilidade de o vídeo se tornar viral (nada é garantido, uma vez que estamos sempre a trabalhar no campo das hipóteses). A sua marca vai beneficiar imenso deste tipo de publicidade, quer em termos de notoriedade, quer a nível de vendas. Arrisque, aventure-se e procure alcançar o sucesso.
Do que está à espera para começar?




quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

REBRANDING: AFINAR A ESTRATÉGIA RUMO AO SUCESSO

Hoje em dia o planeamento da estratégia de uma marca já não é feita a pensar num futuro muito alargado no tempo, a volatilidade do período em que vivemos a isso obriga. Saber quando mudar de estratégia comunicativa, imagem ou até mesmo de conceito ou nome, é um óptimo sinal de inteligência e vitalidade para a marca e para a empresa. Muito poucas são as empresas que não passam por rebranding ou processos de mudança que afinam a sua estratégia.


Tendo isto em mente, podemos então questionar em que circunstâncias deve uma empresa optar por um rebrading? A resposta que damos a esta questão é simples: a situação deverá ser muito bem avaliada e estudada, pois “Cada caso é um caso”.
Em primeiro lugar, é necessário tentar perceber se a sua marca tem um potencial que não está a ser aproveitado perante a estratégia que está a adoptar. Em seguida, é importante esclarecer quais os passos que deverá tomar para que se possa inverter a situação. Poderá ser uma mudança de nome, de conceito, de posicionamento, de imagem, de logo... Tanta coisa poderá mudar. O fundamental é saber que caminho deverá trilhar para conseguir alcançar o êxito.


Uma mudança vai sempre trazer os holofotes à marca, vai colocá-la no “spotlight” e vai fazer com que seja falada. Assim sendo, essa mudança será um cenário positivo – e se essa mudança tiver sido bem pensada e executada, ela terá, seguramente, um impacto bastante positivo perante o mercado e perante o target da marca.  


Por outro lado, será também importante adoptar uma atitude agressiva perante o mercado e marcar a sua posição. Desta forma irá elevar o potencial da sua marca e transformá-la (ou reforçá-la) numa referência. Olhe sempre para a frente e projecte um futuro de sucesso – lembre-se que a marca deverá ter uma comunicação que cubra todos os meios (digitais e físicos) existentes e se mantenha forte em todos eles.

Finalmente, e como é perceptível, este rebranding deverá ser encarado com muita seriedade, uma vez que é algo muito sério e que acarreta alguns riscos. Sendo assim, deverá rodear-se de pessoas capazes e experientes no mercado, para que esta mudança possa ser bastante frutuosa. Caso contrário, os resultados poderão não ser os esperados. Exige-se um bom planeamento e uma boa execução para contrariar isso e desta forma projectar a sua marca para “altos voos”.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

AUMENTAR A REPUTAÇÃO DE UMA MARCA

Fonte: Bronze Branding

Desde sempre que a reputação de uma marca é fundamental para que o êxito lhe bata à porta. Conhece alguma marca com muito má fama e que tenha imenso sucesso? Pois... é difícil.
A boa reputação de uma empresa não surge do nada, ela é trabalhada e solidificada através de alguns princípios básicos que devem ser respeitados ao máximo. E esses princípios são bem mais simples do que aquilo que poderá imaginar! No entanto, muitas vezes, as empresas esquecem-se de os aplicar. São esses princípios que vamos enunciar em seguida, tome nota:

1 – Prometer apenas aquilo que pode cumprir
Parece senso comum, mas nem todas as marcas o fazem. Quando o princípio de confiança entre a marca e o cliente é quebrado de forma sistemática, a reputação da marca cairá de forma dramática. O ideal é que a marca não exagere nas promessas e realce da melhor maneira aquilo que tem de positivo. Esta é a melhor maneira de manter o consumidor contente e fiel.

2 - Tratar todos os clientes por igual
Esta é uma premissa fundamental. Nunca se deve tratar o cliente de uma forma diferenciada de outro. Não existe nada pior que um cliente saber que outro tem um benefício que ele não teve... e, infelizmente, isso é muito mais comum do que aquilo que se possa pensar...

Mensagens dos nossos Clientes a propósito dos 20 anos da Q'ria

3 – Qualidade
Sempre com qualidade máxima. Assim se conquista a confiança do cliente e se consegue aumentar a reputação de uma marca. Tome como exemplo a Sony e a sua reputação relacionada com aparelhos de electrónica. Quando compra Sony sabe que está a comprar qualidade e isso advém da sua excelente reputação. Essa grande qualidade vai ajudar a que uma marca se torne uma referência na sua área de actuação e assim sendo, podemos concluir que nunca, mas nunca, se deve descurar a qualidade.

4 - Preço justo
O preço não deve ser exagerado. Se ele for muito acima do praticado pela concorrência, sem nada que o justifique, então isso será “meio caminho andado” para uma grande perda de credibilidade. Estabeleça um preço justo, que corresponda às expectativas do seu target e aumente assim a sua reputação e interesse da sua marca junto do cliente.

Fonte: Borboletas no Estômago

5 – Transparência
Ter todos os contactos sempre visíveis, ter uma boa assistência técnica e um suporte ao cliente feito de forma interessada e próxima, bem como um bom atendimento, são pontos fundamentais para que a marca tenha uma excelente reputação junto do cliente.

Cumpra todos estes requisitos e veja a marca impulsionar a sua reputação! Lembre-se que uma boa reputação vai atrair mais clientes, vai gerar mais buzz em torno da marca, vai trazer mais confiança e vai fazer com que as vendas sejam muito maiores – e isso é tudo aquilo que as marcas querem :)


www.qriaideias.com
www.facebook.com/qriaideias

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

DESIGN MINIMALISTA – UMA TENDÊNCIA QUE VEIO PARA FICAR

Fonte: Graphic Design Junction

Ter poucos detalhes requer uma criatividade ainda maior. Este é um desafio que tem vindo a ser colocado ao design. Não de agora que esta tendência minimalista se tem vindo a acentuar, no entanto para o ano é expectável que este tipo de design seja ainda mais utilizado.

Os exemplos mais flagrantes (a grande escala) da utilização de design minimalista são a Google e a Apple. Estas duas marcas de bandeira ditam muitas das tendências que reinam em determinado momento e muitas marcas seguem essa linha e vão seguir essa linha. Por vezes, aquilo que é mais simples e directo é aquilo que tem mais aceitação pelo público – lembre-se que “Less is More”.

Fonte: Speckyboy Design Magazine

Muitas marcas “Premium” optam por este estilo de design, tentando demonstrar a leveza e distinção que os seus produtos apresentam. Não são necessários muitos artifícios gráficos, a qualidade fala por si. É pelo menos isso que elas tentam transmitir.

O design minimalista acaba por ser um grande desafio para os designers, uma vez que requerem uma criatividade muito grande e em poucos traços, padrões e cores. Passar uma mensagem desta forma é um estimulo muito grande para quem tem que criar. Para o consumidor este tipo de design acaba por ser uma forma de entendimento mais simples e mais “clean”.

Temos a certeza que vai começar a estar mais atento ao mundo (se é que já não está) à sua volta para tentar perceber se temos ou não razão! Provavelmente, em sua casa já muita da sua decoração é minimalista. Então dá que pensar, não acha? Será que não está na altura de enveredar por esse caminho no que toca à sua marca? Cá estaremos para o ajudar!

Boas Festas!!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

5 CARACTERÍSTICAS DE UM EMPREENDEDOR VENCEDOR

Fonte: empreendedor plus

Ser um empreender capaz de levar a sua ideia/marca a triunfar tem que se lhe diga e não é para todos. São necessárias algumas características e competências que farão a diferença entre a mediania e o topo. É por isso que nem todos conseguem ser empreendedores de sucesso!
Quer saber quais são as características chave? Então continue com a sua leitura:

1 - Ser inovador e não ter medo de arriscar
Conhecer o mercado e procurar ser diferente são características de quem não se conforma e quer sempre mais. Isso é claramente um sinal de que existe espírito empreendedor dentro do individuo.
Essa capacidade de construir valor é essencial para a progressão da marca e do negócio, é assim que ela se vai distinguir do resto e é assim que ela irá ter o seu cunho pessoal.

Fonte: canal do empreendedor

2 - Deve ser orientado e focado nos objectivos
É importante ter uma boa capacidade de planeamento e estar sempre orientado para o cumprimento de objectivos. Procure sempre os melhores conselhos, avalie o mercado, conte com a sua rede de contactos (convém ter uma vasta rede de contactos, é muito importante para conseguir uma maior estabilidade, segurança e “passa a palavra”) e nunca, mas mesmo nunca, perca o norte.

3 - Ter espírito de liderança
Saber ser um líder é essencial. Quem não o é muito dificilmente conseguirá ser um empreendedor de sucesso. Portanto, este é um aspecto em que vai querer investir muito (seja a aprender a ser um líder ou a aprimorar o seu sentido de liderança). Aprenda a delegar responsabilidades, saiba confiar e seja o farol que guia todos aqueles que estão à sua volta e, sobretudo, saiba dar o exemplo.

4 - Ser persistente
Não se deixe abalar por qualquer contrariedade. Relativize as situações e antecipe problemas. Um negócio não se monta de um dia para o outro. Assim sendo, é necessário ter em mente que nem tudo é fácil e que muitos obstáculos vão ter que ser ultrapassados até que consiga chegar a bom porto.

Fonte: minuto produtivo

5 - Ter autoconfiança
Ter confiança nas suas próprias capacidades é meio caminho andado para contagiar os que estão à sua volta. Passar essa confiança e deixar os outros à vontade é muito importante para que ganhe o respeito dos seus colaboradores ou até do seu público. Deixe transparecer a sua aura de vencedor e tenha carisma. Um bom líder tem sempre uma excelente dose de carisma.

Apesar de tudo estas são características que por norma são inerentes à pessoa, poderem não estar todas em si, existe a possibilidade de as vir a trabalhar, desenvolver e aprimorar com o tempo. Tenha confiança em si, trabalhe para o sucesso, seja criativo e com toda a certeza irá vencer.
Sente-se um empreendedor capaz? Então arrisque!


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

MOTIVOS PARA CONTRATAR UMA AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

Fonte: guia da carreira

Muitas vezes as pequenas e médias empresas apresentam alguma relutância em contar com a cooperação de uma Agência de Comunicação porque pensam que isso apenas resulta em grandes empresas. Nada disso, não poderiam estar mais erradas.
A comunicação orientada por uma Agência de Comunicação tem muitas vantagens e, na sua maioria, garante resultados (seja a empresa pequena, média ou grande).
Quer conhecer algumas dessas vantagens? Então continue a sua leitura!

1 - Desenvolvimento da marca
A criação de uma estratégia de comunicação para uma marca vai ajudar a que ela comunique de forma estruturada e coerente, que fale a uma só voz. Tudo vai ter um propósito, uma intenção, tudo para que a marca se torne mais presente, cresça, possa chegar a mais gente e venda mais.

2 - Ser um parceiro estratégico
Trabalhar com uma Agência de Comunicação vai fazer com que a marca apenas tenha que conversar com um fornecedor para que tudo possa acontecer (em termos de comunicação). Isso facilita imenso o trabalho da marca e garante que tem sempre um apoio importante para que a marca se fortaleça e possa enfrentar as dificuldades/desafios que vão surgindo no dia-a-dia.

3 - Experiência e mestria na execução
Claro que ter uma Agência de Comunicação a trabalhar com uma marca vai optimizar todos os processos de comunicação dessa empresa. A experiência e capacidade das pessoas que trabalham na Agência vai fazer com que a comunicação seja eficaz, uma vez que irá ter uma equipa de profissionais a trabalhar, trabalhar e a trabalhar para a marca. Isto vai aprimorar processos e estratégias.

Fonte: allcom

4 - Redução de custos
Existirá uma natural redução de custos quando se escolhe trabalhar com uma Agência de Comunicação. Contar com uma equipa que faça todo este trabalho de comunicação, de forma profissional e com resultados, não é algo que saia muito barato e sabemos que as pequenas e médias empresas não passam por tempos fáceis. Assim sendo, optar por concentrar esse tipo de trabalho numa Agência de Comunicação vai ajudar a que tenha um custo/benefício muito interessante.

5 - Resultados
Quando se trabalha a uma só voz, com uma excelente equipa de profissionais experientes, todos a rumar para o mesmo lado, orientados e focados no crescimento de uma marca, os resultados acabam por, naturalmente, aparecer. Encare o facto de trabalhar com uma Agência de Comunicação como algo que poderá ser um investimento com retorno para uma marca.

Como se pode concluir, o potencial deste tipo de colaboração é enorme. Uma marca que trabalhe com uma Agência de Comunicação tem sempre muito mais hipóteses de conseguir alcançar com uma projecção maior e também de conseguir aumentar as suas vendas. É, sem dúvida, um investimento que traz os seus frutos em termos directos e indirectos.
Pense que não precisa de estar sozinho neste barco, existem pessoas que podem olhar pela sua marca e podem ajudar a maximizá-la.


www.qriaideias.com
www.facebook.com/qriaideias

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CLIENTE VS DESIGNER (OU VICE-VERSA)

Fonte: Tiragraffi Magazine

Esta nem sempre é uma relação muito fácil de conciliar! De um lado a perspectiva de quem (legitimamente) pensa mais em números e do outro está o olhar mais criativo. O equilíbrio destas duas forças requer cedências de ambas as partes e também uma intermediação eficaz.
Para conhecer algumas das nossas dicas para que esse relacionamento seja duradouro e frutuoso continue a sua leitura:

- Briefing bem estruturado 
Isto vai facilitar todo o processo e vai tornar tudo muito mais fluído. Quanto mais definido tudo ficar no início do trabalho melhor vai ser o relacionamento entre ambas as partes. Uma definição clara daquilo que se pretende vai permitir que o criativo tenha as bases que necessita para atingir as expectativas que o cliente deverá ter. Por outro lado, também será importante que todos os lados perceberem aquilo que podem ou não fazer e até onde podem ir (com os recursos disponíveis).

- Definição eficaz de prazos
Esta fase é muito importante! Definir e respeitar os prazos é fundamental para que a confiança de ambas as partes se mantenha intacta. Ainda assim, é perfeitamente aceitável manter uma certa flexibilidade quanto a prazos de entrega. Existem muitas variáveis a ter em conta e nem sempre tudo acontece como planeado, portanto muitos percalços ou mesmo mudanças de estratégia podem acontecer. Assim sendo, é importante manter uma margem de segurança entre os prazos acordados. Lembre-se que estar sempre a pressionar o criativo não vai ajudar no seu trabalho, lembre-se também que ele está do seu lado e quer o sucesso da marca para a qual está a trabalhar.

- Estar envolvido e permitir o envolvimento (reuniões)
É crucial que exista um envolvimento de ambas as partes na construção do objectivo comum que definiram. O ideal é existirem reuniões periódicas para ajuste da estratégia ou para pequenas afinações, que se julguem necessárias ao trabalho. Estas reuniões não devem ter o intuito de condicionar o trabalho do outro, mas sim facilitá-lo e evitar que tome um rumo errado (que poderá acontecer por falta de feedback, dando liberdade a que o trabalho seja feito de uma forma “autónoma”).

- Paciência e Empatia de ambos os lados (capacidade de se colocar no lugar do outro e flexibilidade)
Nas doses certas, este é o conselho ideal! Ter a capacidade de se colocar no lugar do outro facilita todo o processo e evita 99% dos conflitos. Ser tolerante, respeitador e saber ouvir, são características que um bom líder deverá ter. Neste caso, isso tanto é valido para quem está a liderar o lado do cliente como para quem está a executar o trabalho para esse mesmo cliente. O designer também deverá ser capaz de ouvir e de explicar o seu ponto de vista, saber respeitar quem tem uma visão diferente da sua e também saber como falar para alguém que poderá não ter os mesmos conhecimentos que ele sobre temáticas relacionadas com o design. Manter tudo simples e objectivo é um óptimo caminho a seguir.

Fonte: Des1gn ON

Podemos então concluir que estes são alguns dos princípios básicos para que esta relação entre cliente e criativo funcione da melhor maneira. Afinal de contas, o que se desenvolve nesta relação é uma parceria em que ambos os lados têm bastante a ganhar com o sucesso do projecto que têm em mãos.

Resumindo: mais cooperação = maior êxito.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O SLOGAN IDEAL PARA SUA MARCA

Fontes: Logopedia | Work at Home | Amanda Cobb | Wikia


I'm lovin' it”, “What else?”, “Red Bull dá-te asas”, Just Do It” Verdadeira Maionese”... e podíamos continuar por aqui fora! Estas palavras formam slogans que vivem na nossa cabeça e são facilmente associadas a uma marca – apostamos que consegue saber a marca a que corresponde cada um destes slogans! Isso quer dizer que eles são muito importantes na comunicação de uma marca e, acima de tudo, quer dizer que eles funcionam.

Também gostava de ter um slogan assim para a sua marca? Então continue a ler o texto e tome nota das dicas que vamos dar:

1 – Simplicidade
Os exemplos que fornecemos têm uma coisa em comum: simplicidade. É, de facto, fundamental que um slogan seja simples e facilmente memorável. É desta forma que as pessoas se vão recordar do slogan e serão capazes de o associar à marca. No entanto, não existe uma receita matemática para quantificar o número de letras ou palavras que deverão compor um slogan. Nós dizemos que ter mais do 7/8 palavras já será muito, mas tudo depende do produto, da marca e da intenção.

2 – Musicalidade
Para pa pa pa, I'm Lovin' It” - Isto quase que chega para descrever a importância que a musicalidade apresenta no sucesso de um slogan. Criar uma certa musicalidade associada às palavras vai ajudar a que elas se tornem mais memoráveis e possam ser “troteadas” em qualquer altura. Isso vai conseguir criar uma associação positiva à marca e ao slogan.

3 – Originalidade
Ser original e criativo é essencial. Marcar pela diferença vai fazer com a sua marca conquiste o seu espaço e se demarque da concorrência.
Uma estratégia que poderá ser interessante é usar o duplo sentido no seu slogan, que por norma é muito bem aceite pelas pessoas.

4 – Destacar as vantagens da marca/produto
Associar vantagens/associações lógicas do produto vão ajudar a que ele se torne mais memorável e mais facilmente identificável, criando uma dinâmica comunicacional forte para o seu slogan e consequentemente para a sua marca.

Este processo de criação de um slogan é muito complexo e requer muito estudo e prática. Por vezes, num golpe de sorte, ele pode surgir, mas o que acontecer normalmente é que existe um grande trabalho de pesquisa misturado com a criatividade.

E agora? Sente-se com vontade de verbalizar um slogan seu? Força, avance e deixe-o nos comentários. Queremos ver se a vossa criatividade está ao rubro!


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

5 DICAS PARA AS MELHORES FOTOGRAFIAS DE PRODUTO



Pegar no telemóvel e tirar uma foto, um gesto que todos nós fazemos (por vezes até instintivamente) e que está tão enraizado na nossa cultura de imagem... mas será que por isso somos todos fotógrafos e sabemos como tirar uma boa fotografia quando se trata de fotografar um produto? Pois... porventura não!
Então, para o ajudarmos a perceber melhor como tirar a melhor fotografia, vamos dar-lhe 5 aspectos que deverá ter em conta quando tiver que fazer fotografia de produto:

1 – Iluminação
Nada como uma boa luz branca para tornar tudo mais claro e límpido, sem sombras, com o enfoque no produto. Isto vai torná-lo mais apelativo e evitar que a imagem não seja bem visível para quem está a navegar por uma loja online ou catálogo de uma marca.
Destaque os prós do seu produto e não tente esconder nada, os consumidores tenderão a ser mais relutantes a comprar se notarem que as fotos tentam disfarçar algo.
Por outro lado, se fizer foto exterior, tenha atenção à iluminação natural e procure fotografar em locais bem iluminados e agradáveis para quem irá ver o resultado final.


2 – Contexto
Seguindo a linha de pensamento anterior, pense que apenas fotos de estúdio podem ser muito redutoras e não fazer jus ao real valor do produto. Dar-lhe um contexto ou algumas situações reais de uso fará com que seja criada uma relação mais emocional com quem está a ver e servirá de apoio para que os consumidores possam conhecer algumas das situações em que poderão usar o produto.
Ir além das fotos de estúdio é uma excelente forma de captar a atenção do consumidor e conseguir que avancem para a compra.


3 – Ângulo
Tire fotos de vários ângulos para mostrar da forma mais detalhada possível o produto. Essas fotos vão permitir que os consumidores tenham mais confiança no produto que estão a ver. Passará uma mensagem de que não tem nada a esconder e que o seu produto tem mesmo qualidade.

4 – Quantidade
Deverá colocar um número razoável de fotos do mesmo produto. Isto irá permitir que os consumidores possam ver o produto em vários contextos e situações, diferentes ângulos, diferentes cores... Convença pela qualidade, mas também pela quantidade – mas sem exageros! Não coloque fotos em demasia para não cansar quem está a ver.
Neste momento deve estar a questionar-se qual será o número certo de fotos para um produto, não é verdade? Bom, não existe um número certo, existe apenas bom senso. Tente encontrar o ponto de equilíbrio. Muitas vezes a experiência é muito boa conselheira neste caso.

5 – Edição
Evite uma grande edição nas fotos. Isso dá imagem que está a tentar esconder algo ou que necessita de “embelezar” em demasia os seus produtos. Se as fotos ficarem bem, não será necessário um grande tratamento digital. Se existir essa necessidade, que seja algo quase imperceptível e que sirva para realçar o produto.


Agora que já sabe todos os aspectos que deve ter em conta, pegue na máquina e fotografe, fotografe e fotografe! Ou então, como já percebeu que não é assim tão simples ser um bom fotografo, invista em quem possa fazer um trabalho de qualidade. Isso vai trazer retorno para as suas vendas.
Lembre-se que quanto melhor forem as suas fotos, mais probabilidades terá de ter sucesso.