quarta-feira, 22 de março de 2017

3 PASSOS PARA O MELHOR CATÁLOGO DE PRODUTO

Um dos grandes quebra-cabeças de um Brand Manager passa pela aposta num catálogo que represente e transmita o produto convenientemente. Siga o nosso pensamento em 3 passos para este suporte de comunicação e ficará com uma noção dos detalhes a ter em conta, antes de o enviar para produção.
A nossa intenção é: pense em cada “investimento” na sua marca de forma coerente e cumpra o objectivo a que está destinada.
Vamos passar aos passos a seguir? Então vamos lá…

1. Faça uma boa sessão fotográfica

Hoje em dia, a tecnologia evolui de uma forma estonteante e de dia para dia a qualidade digital aumenta tanto que o real se confunde com o digital. Com isto queremos dizer, que com um bom material e um bom fotógrafo conseguimos tornar a experiência visual de uma boa fotografia como algo tão real e autêntico que o nosso catálogo vai brilhar.
O melhor fotógrafo para o seu produto preocupa-se com detalhes como a luz, o cenário ideal, a colocação do produto e um sem fim de atributos que serão necessários para que consiga realçar a essência do produto ou da intenção da fotografia.
Sim, é importante transmitir ao artista, via briefing ou abordagem sistemática o que é pretendido, para que este analise e operacionalize.

dribbble.com


2. Critério de comunicação para o Catálogo
Este passo é bastante importante. Aqui a pergunta que tem de fazer logo no início da delineação é: “Como vai ser distribuído e onde vai ser colocado?”.
A segunda questão é: “Que quantidades iremos produzir?”. São duas questões cruciais para que o catálogo tenha impacto. A distribuição poderá ser em mão, marketing directo, na loja, distribuído na rua, etc. Para este ambiente será necessário adaptar o tipo de papel e tamanho do catálogo. Na loja poderemos ter um catálogo maior, com um toque mais suave e até uma capa dura, por exemplo. Já numa distribuição na rua, terá que ser um catálogo mais versátil.
Saber que quantidades haverá possibilidade de produzir, caso ainda não tenha decidido que tipo de distribuição fazer, torna-se uma questão decisora para o tipo de distribuição.
Imagine que o budget destinado a este suporte é reduzido, então poderá ser mais interessante fazer poucas quantidades e apostar num catálogo em loja e em espaços que estejam identificados com o produto, com um material mais “cuidado”.
Outro dos aspectos importantes é o consumidor sentir que ao pegar no catálogo da marca está a sentir o produto nas suas mãos. Ao pensar nele pense como uma fusão, um transcender da marca.
Por fim, tal como nas revistas a publicidade mais cara é na página ímpar, ora no seu catálogo assuma a página ímpar como a “estrela”. Ou seja, coloque o produto, mais caro, o que quer vender mais ou aquele que represente mais a marca.

Print Design

3. As características certas são um bónus

Há catálogos de produtos que ganham pela simplicidade, outros por explorar o pormenor ou até mesmo aqueles que ganham pelo aspecto inovador e pelo design.
Mais uma vez alertamos para a necessidade de transmitir no catálogo o conceito da marca e do produto que pretendemos dar a conhecer. Irá ditar o princípio deste rumo. Mas teremos que ter em atenção o que realmente o nosso consumidor ou potencial consumidor pretenderá reter e o fará pesquisar ou até mesmo comprar o produto.
Queremos com isto dizer que poderá passar por serem apresentadas as devidas características como cores, tamanhos, preço, etc. ao ponto “zoom” de um pormenor do produto.
Não se esqueça que um catálogo é uma operação de venda, faça-o com esse intuito!


quinta-feira, 16 de março de 2017

3 MAIORES TENDÊNCIAS PARA A COMUNICAÇÃO INTERNA

Muitas vezes já deu por si a dizer – “e agora o que é que eu faço?” ou “como é possível eu só saber agora, ou melhor como é que isto aconteceu?!”. Nesta abordagem vamos caminhar um pouco pelos corredores da sua empresa e apresentar-lhe 3 conceitos genéricos para desenvolver junto dos seus colaboradores.
Um dos objectivos da comunicação interna é criar uma forma de comunicar própria que muitas vezes leva a que a equipa se conheça tão bem que às vezes nem precisa de falar. Uma expressão facial ou tempo pensativo…já está! Sai um “Já sei o que fazer”, “Já sei o que estás a pensar”.
Mas isto não será possível são não existir um aguçar destas situações. Agora vem a questão: “E como é que eu chego lá?!”
Vai depender muito da empresa em si, colaboradores, meio, etc, mas não há impossíveis!

etsy.com

1. Crie rotinas da Comunicação Directa
Com o crescimento da sua empresa é cada vez mais usual os colaboradores ficarem informatizados e diminuírem o contacto pessoal entre eles, ora poderá ser o começo de um grande problema. Criar dinâmicas internas, dentro e fora de horas laborais para gerar momentos de partilha poderá ser uma vantagem para este tipo de estímulo.
Desde o desporto à refeição poderão ser feitos mil e um conceitos.
Vamos passar a um exemplo, recentemente o Jorge Costa do FCP, partilhou que o FCP ganhou a Liga dos Campeões porque os jogadores partilhavam a confiança de que iam ganhar e que existia um entrosamento tal que ninguém combinava onde ia almoçar, todos apareciam no sítio do costume.

2. Meça as Acções Internas
Não tenha apenas a sua opinião das acções, meça o impacto das suas acções para que possa ajustar e satisfazer as condições de trabalho que disponibiliza. À medida que o desafio de negócio aumenta vão sendo criadas lacunas que serão preenchidas com formação, dinâmica de grupo, actividades extra. Se não medir, não sabe se a ideia que teve se ajusta. Se medir terá dados que o permitam ajustar cada vez mais ao seu target interno e cultiva-lo, para que se torne uma grande família.

InteriorZine

3. Gamificação - é mais cool trabalhar
Com uma constante adversidade conjuntural e o peso que as famílias carregam na própria sustentação, acabam por transportar esta carga negativa não só em casa, mas também no trânsito, no seu desporto e claro no trabalho. Este último, pelo facto de não lhe resolver o problema porque é daqui que advém o fruto principal, o seu papel tende a ficar mais pesado.
Então o objectivo da Gamificação é dar leveza ao colaborador e desconstruir o seu pensamento relativamente ao período do dia em que se dedica à empresa. Assume-se quase como uma terapia de trabalho.
Neste campo poder-se-á estruturar várias componentes de desafio, equipas ou individual, sendo que o por equipas será o mais interessante para estimular a entreajuda e o espírito de cooperação. Nunca esquecendo que as equipas devem ser rotativas para que não haja demasiado entusiasmo ou divisão.
Esta acção em concreto deverá ter “Objectivos”, “Regras”, “Check-points” e claro “Prémios”. Poderá ter uma componente de interligação com o negócio ou simplesmente distinta para que o colaborador perceba outras realidades.


www.qriaideias.com
www.facebook.com/qriaideias

quarta-feira, 8 de março de 2017

5 ESTRATÉGIAS PARA AUMENTAR A NOTORIEDADE DA SUA MARCA

A sua marca dá voltas e voltas e não há forma de se tornar consistente, reconhecida ou válida… Ao longo desta análise vai encontrar 5 pontos estratégicos que poderão ajudar que a sua marca tenha uma linha de comunicação com vista ao ganho de notoriedade.

O alcance de notoriedade não é assim tão utópico como aparentemente possa imaginar. Se pensar bem o seu cliente gosta de sentir o produto no seu todo, substância e utilidade na sua compra. Estas características podem estar presentes a todos os níveis e em qualquer ramo de negócio.

Uma marca com história - Casa de São Matias


1. ESTRUTURE A HISTÓRIA DA SUA MARCA

A primeira questão que lhe colocamos é “Quantos anos tem a sua empresa ou a sua marca?” isto será importante para o desencadear do enredo e todo o autentico romantismo em torno do protagonista, a marca.
Caso a sua empresa tenha mais de 20 anos, temos aqui um bom ponto de partida, a idade fala por si e acaba por ser um posto. Se eventualmente não tiver tantos anos quanto isso ou esteja a iniciar o seu percurso a sua história de fundação é importante, diríamos fundamental.
Pense numa perspectiva biológica, o ser humano é por si só um ser da natureza, então será mais ligado a estas simbioses mais naturais e orgânicas, e o processo de fecundação está na sua génese. Deparar-se com uma empresa que passa por um processo de origem tão semelhante vai criar relação e reconhecimento.

2. VÍDEO INSTITUCIONAL

Pois bem, leu correctamente. Palavras por si só não chegam e precisa de existir uma transposição visual que inspire sensações.
O vídeo executa esta máxima na perfeição. O seu potencial cliente vai saber mais sobre a sua marca de uma forma intuitiva. Neste vídeo poderá explorar, a história da marca, testemunhos, a visão e missão por parte do responsável máximo e experiência do produto ou serviço.

3. OPTIMIZE A SUA LOGÍSTICA

“Acertar é humano” escreva esta frase no seu ponto de logística para que nenhuma entrega falhe, seja um serviço ou produto, o importante é cumprir os prazos.
Uma vez comprometida uma data de entrega na sua loja online, no seu ponto de venda ou escritório, será importante manter esta seriedade. Hoje em dia, o fluxo é tanto e o dia-a-dia é tão stressante que uma empresa que não demonstre este facto acaba por surpreender o consumidor. Com esta missão cumprida ganha o visto de credibilidade, digamos que é um “cinturão” que arrecadou até chegar ao objectivo, a notoriedade.

4. IMAGEM CLARA, CENTRAL E TRANSVERSAL

Quantas vezes já viu no website de uma dada marca esta se apresentar com uma cor e no cartaz outra, na loja o logo antigo ou slogans com tipos de letra diferentes???
Esta incongruência não abona nada a seu favor. Comece por fazer uma análise interna ao que está a fazer de errado e que custos terá cada mudança.
Posteriormente, defina pontos de alteração necessários a cada período, vai saber quanto lhe custa uma campanha, uma mudança, a insercção de um novo produto, etc. Este é o ponto de partida para não ter surpresas, porque quando quiser mudar tem que manter a sua imagem coerente. Sim, essa coerência poderá ter custos avultados, mas não veja como um custo, veja como um investimento que terá de ser feito para o seu objectivo – notoriedade no seu máximo.
Já para não falar que um passo em falso pode ser fatal.
Após o levantamento tem o ponto necessário para que a equipa de marketing e design entenda o problema e consiga desenvolver um manual de normas de imagem, ou muitas vezes conhecido por Guidelines ou CI (Corporate Image).
A partir do momento em que fecha o “CI”, este passa a ser a “Escritura Sagrada” da empresa. Guarde-o em local de destaque para que nunca se esqueça dele.

5. PRESS RELEASE OU PUBLIREPORTAGEM PODE AJUDAR

Por último, acreditamos que um conteúdo jornalístico, pelo seu rigor e objectividade, poderá ser um canal interessante à chegada da notoriedade em pleno. Por norma, os jornais, sejam eles de papel ou digitais, blogs, websites de notícias, conferem um cariz credível à marca, uma vez que quem os lê os demarcam como entidades com notoriedade. Então, tem aqui um óptimo aliado!
Atenção! Nem todos os jornais correspondem ao seu target, há que pensar esta iniciativa parte integrante de uma estratégia.

quarta-feira, 1 de março de 2017

A IMPORTÂNCIA DO DESIGN COMO FACTOR CATALIZADOR DE VENDAS

Pois é, leu bem! O design é mesmo uma ferramenta bastante útil para impulsionar as vendas de uma marca. O nosso leitor pergunta: “Como isso acontece?” e nós respondemos: é o que vamos discutir no decorrer deste nosso texto.

Marca Livraria do Mercado - Projecto Chave-na-mão

Não nos cansamos de dizer que num mundo tão aberto à informação e à comunicação quem prima pela diferença é aquele que chega mais longe. Por outro lado, a forma como comunicamos poderá ditar o sucesso ou não de uma marca, portanto convém dar-lhe a maior atenção.

Uma das formas de sobressair neste mercado tão competitivo é investindo num design que comunique a essência de uma marca, criando um estilo próprio e que consiga marcar a diferença. Criar um reconhecimento imediato da marca para quem a vê, criar aquele estilo inconfundível que ajuda ao nascimento de uma ligação emocional/memorável do cliente e da marca (como acontece com a Apple ou com a Coca-Cola).

Todo este trabalho de articulação da forma e da mensagem vai fazer com que a marca comunique de forma mais credível, ajustada e harmoniosa. Este poderá ser um elemento diferenciador dela para a concorrência.

Marca Livraria do Mercado - Projecto Chave-na-mão
Para perceber de uma forma mais evidente qual é a importância do design como catalisador de vendas basta pensar na sua própria experiência de compra: imagine que está numa loja online e vê o site de uma marca com um aspecto muito pouco agradável. Perante esta situação, qual será a sua escolha? Provavelmente fechará o site e procurará o produto num concorrente!
Então é fácil de perceber que o design desempenha um papel muito mais relevante do que à primeira vista parece.

www.qriaideias.com
www.facebook.com/qriaideias

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

«FAMOSOS» NOS EVENTOS DAS MARCAS

Todos nós já estivemos em eventos que contaram com a presença de figuras públicas ou pelo menos já tivemos a oportunidade de assistir pela TV ou simplesmente passamos por um evento onde estava presente um famoso. É ou não é verdade que ficou com curiosidade de ver essa pessoa de mais perto? Pois... 1-0 para a marca!

Esta é uma forma clássica de despertar a curiosidade dos consumidores e certo é que resulta muito bem.
Por um lado, este tipo de estratégia de comunicação associa a marca a eventos de prestígio, que contam com a presença de pessoas que facilmente reconhecemos e com quem nos identificamos de alguma maneira. O ideal será sempre tentar enquadrar as celebridades que participam no evento com aquilo que a marca representa, no target da marca. Desta forma, é quase certo que esse evento será um sucesso.

Evento de Lançamento do Lucky Me by Diana Chaves
Outro dos aspectos relevantes em ter líderes de opinião num evento é a cobertura mediática que isso poderá gerar. Ter os media no evento ou ter notícias sobre o evento num qualquer (ou em vários) meios de comunicação será excelente para o êxito do evento e para o reconhecimento da marca perante o público – é um “win-win”.

Pipoca Mais Doce no Passeio dos Clérigos

Ainda assim, não esquecer que a presença de famosos, por si só, não garante o sucesso de um evento, é necessário que tudo o resto esteja perfeito também e acompanhe o glamour do momento. Mas sobre isso já falámos num texto anterior que poderá consultar aqui: (http://qriaideias.blogspot.pt/2015/11/erros-evitar-para-ter-um-evento-de.html)

No próximo evento da sua marca não ponha de lado a possibilidade de contar com uma figura capaz de impulsionar o interesse geral no evento e capte para a sua marca os olhares do mundo. O spotlight fica muito bem a uma marca.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

COMO MELHORAR A EXPERIÊNCIA DE COMPRA PELO CLIENTE?

Para que uma marca se mantenha viva e de boa saúde são necessários compradores (quanto mais fieis melhor). Para que esses mesmos compradores escolham a sua marca ela terá que ser forte em alguns aspectos chave. Um desses aspectos é a experiência de compra. Este é um dos aspectos que vai definir muito a vitalidade de uma marca.

© chic.uoll.com.br

Continue a ler o nosso texto e veja algumas dicas que fornecemos para melhorar a experiência de compra na sua loja física ou online:

1 - Tente eliminar possíveis barreiras/entraves (simplifique tudo ao máximo)
No caso de uma loja física é necessário que os produtos estejam facilmente acessíveis, bem visíveis e em quantidade suficiente para não parecer que tem pouca escolha e que dê para ver bem o produto. Deverá ser simples o cliente encontrar aquilo que procura ou ter a possibilidade de se deixar encantar por outro artigo.
O mesmo se passa na loja online. É imperativo que a compra possa ser feita de forma simples, rápida e sem grandes constrangimentos e etapas sem sentido.
Tanto num caso como no outro, o ideal é simplificar ao máximo e deixar tudo fluir, fazendo com que o processo de compra seja directo, agradável e memorável.

© designerpreviews

2 - Tenha sempre resposta para as necessidades do cliente e saiba adaptar-se a elas
Tenha um staff bem treinado para lidar da melhor forma com o público. Crie promoções interessantes, ofereça brindes e não se esqueça das estratégias clássicas dos cartões de fidelização (eles resultam!). No fundo, mostre que o cliente tem muita importância no seio da sua marca.
No que toca à loja online, tenha sempre vários métodos de pagamento e tenha um bom FAQ, para que as pessoas possam obter informação de forma simples e rápida.

3 - Cumpra aquilo que promete
Comunique de forma eficaz e sem exageros desmedidos. Seja honesto e dê destaque ao que o seu produto ou serviço tem de vantagem em relação à concorrência. Desta forma não vai defraudar as expectativas de quem compra.

© modamodeon

4 – Qualidade máxima naquilo que faz
Os produtos, o atendimento, a loja, o site, as redes socais, a forma como comunica... TUDO! Tudo isto deverá ser feito com a máxima qualidade. Trabalhe para aprimorar todos estes aspectos e com isso irá ganhar o cliente pela certa.

5 - Pós-venda interessado e atento
Procurar feedback e prestar a ajuda necessária para que o cliente sinta que fez uma boa compra e que escolheu a marca certa. Afinal de contas ele escolheu-a uma vez, poderá voltar a escolher e poderá ainda recomendar a amigos ou família. É importante “mimar” todos os clientes. É desta forma que vai conseguir que eles criem uma ligação à marca e se tornem fieis seguidores.

© onegociodovarejo.com.br

Se tudo isto corresponder ao esperado, então a sua loja irá estar repleta de clientes e a sua marca estará nas bocas do mundo (pelos melhores motivos!). O seu êxito está a um pequenos passos de distância, aproveite!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O CLIPPING DE IMPRENSA


Clipping é uma acção importante de recolha de informação sobre um determinado tema ou marca. Normalmente a informação mais importante para uma marca é aquela que sai na comunicação social ou em blogs de referência. Ese trabalho de clipping é determinante para que as marcas possam estar a par de tudo aquilo que é dito sobre elas, se uma das suas acções resultou, qual o feedback sobre um ou outro produto... enfim, existe uma infindável quantidade de exemplos.

Por outro lado, caso uma marca esteja associada a uma Agência de Comunicação ou Assessoria de Imprensa, o clipping poderá ser uma excelente forma de avaliar a sua performance e perceber se o investimento que está a fazer está a resultar. Com o clipping é possível aferir o resultado da comunicação que é feita.





















Com efeito, nem sempre o facto de os resultados não serem imediatos quererá dizer que houve um mau trabalho da Agência. Isto poderá estar relacionado com o interesse que este ou aquele meio de comunicação teve ou não em noticiar algo.

Por norma, as Agências têm uma boa rede de contactos que lhes permite mais facilmente chegar ao contacto com os media e fazer-lhes chegar a informação de uma fonte segura. Isso também é importante para quem vai publicar a peça jornalística.


A grande vantagem do clipping é que uma marca poderá ter uma noção muito rápida de como está a ser falada, podendo daí retirar muitas conclusões sobre o caminho que pretende seguir. Ainda assim, é importante não esquecer que ao ser feita essa recolha de informação ela poderá ser partilhada com clientes, fornecedores, colaboradores... Será uma óptima “operação de charme” poder partilhar este ou aquele artigo que saiu numa revista de referência ou num blog trendy.

Atenção, saber sempre o que se passa com a própria marca e estar atento ao que se diz sobre ela é muito importante para o sucesso da mesma!


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

EVENTOS EM LOJA – UMA ESTRATÉGIA VENCEDORA



Todos nós já passámos por uma loja onde estava a música alta (como se de uma festa se tratasse) ou onde estavam a convidar o público a entrar na loja e participar em determinado evento que estaria a acontecer. Isto é algo que se passa com alguma frequência.
Será esta uma boa estratégia que as marcas adoptam para atrair a atenção do público? É a isso que vamos responder em seguida!



Se bem planeada e executada, estas podem ser acções muito fortes do ponto de vista estratégico. É garantido que uma multidão adira e entre na loja onde decorre o evento ou a acção – e é isso que a marca deseja! Uma excelente oportunidade para divulgar um novo produto, uma promoção específica, festejar uma data especial ou entrar no espírito de uma determinada altura do ano. Estes são todos bons pretextos para se promover um evento, em loja.

As possibilidades para esses eventos são imensas e estão dependentes da criatividade de quem as planeia. Poderá ser música ao vivo, distribuição de vales, ofertas, brindes, poderá ser qualquer tipo de animação e interacção – as possibilidades são mesmo muitas e estão dependentes do target da marca e do seu objectivo para a acção.

No que toca à execução propriamente dita, teremos que ter em linha de conta que tudo deverá ser muito bem preparado e divulgado. Desta forma o público irá aderir de uma forma mais consistente.


Não se esqueça que esta poderá ser uma excelente oportunidade para revitalizar a sua marca e captar novos clientes ou de simplesmente “mimar” os clientes já existentes. No fundo, o que poderá esperar é uma ou mais lojas cheias, muito animadas e com francas possibilidades de vendas. Se tudo correr como planeado, verá que no final do dia vai compensar largamente o investimento que fez para que o evento estivesse perfeito.


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

OS BENEFÍCIOS DO BRANCO NO WEBDESIGN

Website da Levis

Muitos dos sites por onde passa quando está a navegar apresentam demasiados elementos que o fazem cansar facilmente, de o ler ou de simplesmente “passear” por lá. Infelizmente, isso é mais comum do que aquilo que à primeira vista parece. Uma das causas principais de tal acontecer é uma errada utilização dos espaços em branco.
A correcta utilização do espaço em branco é fundamental para que a leitura, experiência de navegação e usabilidade seja a mais fluída e agradável para o utilizador.
Para alcançar esse tipo de estrutura deverá ter em atenção estes três pilares:

.Organizar a informação
Dar “espaços em branco” entre os vários elementos do site vai permitir que tudo se torne mais harmónico, agradável e legível. Isto será importante quer ao nível dos destaques ou espaçamento entre elementos e também para hierarquizar a informação e balancear o próprio site.

Interior do website da Levis

.Descansar o olhar
Ter margens razoáveis em volta do site é importante para criar espaços onde as pessoas possam “descansar o olhar” e ter uma experiência de navegação muito mais positiva e menos cansativa. Não se deve sobrecarregar demasiado o ecrã, evitando o risco de o tornar demasiadamente confuso e pouco atraente.
Isto serve também para que o olhar “se liberte” de todas as outras cores que poderão existir no site.

Interior do website da Meller

.Concentrar a atenção
A divisão da informação com “brancos” vai permitir que as pessoas saibam para onde olhar e vai simplificar o processo de navegação. Esta é também uma forma de fazer destacar aquilo que pretende e também de “controlar” um pouco a forma como o utilizador pensa e executa acções no site. Pode ser uma estratégia de antecipação que poderá resultar muito bem.
Por outro lado, isso dá também um ar mais cuidado e profissional ao site.

Interior do website da Meller

Concluindo, podemos dizer que se queremos manter os nossos leitores/utilizadores atentos, interessados e fieis ao nosso website, temos que tornar tudo optimizado e adaptado à navegação, facilmente legível e nada cansativo. Isso vai permitir que as pessoas gostem da experiência, que a partilhem e que voltem ao site, fazendo com que as suas vendas aumentem, reforçando assim o valor de uma marca.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO EM TEMPOS DE CRISE

Fonte: agência FBK

Dizem que o pior da crise económica internacional já passou, ainda assim ela não acabou totalmente. Vivemos numa altura muito diferente daqueles “tempos áureos” de umas décadas atrás. Este cenário colocou as marcas num patamar diferente em termos de comunicação com o público. Antigamente, os consumidores tinham muito mais poder de compra e menos acesso a informação, cenário que hoje em dia não se verifica. Houve uma alteração de paradigma, o poder de compra tornou-se menor e a informação é muitíssimo mais enraizada e massificada.

É neste contexto que as marcas actuam. A concorrência é cada vez mais feroz, o consumidor é cada vez mais atento e selectivo e as facilidades de outrora já não existem. Actualmente existe a necessidade imperativa de as marcas comunicarem de maneira mais segmentada e criativa e é desta forma que vão cativar a sua franja de público, é assim que vão conseguir superar a concorrência e é desta maneira que vão conseguir manter a sua posição no mercado.

Fonte: blog do acelerato

Podemos então perceber que numa altura como esta (por ventura, até mais do que nunca) é fundamental continuar ou até reforçar a aposta na comunicação. Assim irá conseguir vencer os desafios que se colocam às marcas, através de um público de exigência máxima.
Chegar até ele e saber como conquistá-lo são dois aspectos que as marcas deverão dar a máxima atenção.

Neste cenário, trabalhar com profissionais experientes e capazes é meio caminho andado para o alcançar do sucesso de uma marca. Profissionais que “tratem a comunicação por tu” são aqueles que irá querer ter junto da sua marca - juntos vão conseguir destacar-se no contexto económico actual.

Contacte-nos!