quarta-feira, 5 de julho de 2017

AS MARCAS E O FITNESS, OU SERÁ BEM-ESTAR



A partir de 2007, começaram a surgir as primeiras preocupações com a obesidade, a necessidade de redução de gorduras, açúcares, etc., tudo elementos nocivos para a saúde.

Certo que houve, inicialmente, uma abordagem pouco estética, mas sim meramente apontada para a saúde. Com o passar dos anos e a população mais atenta e mais conhecedora dos riscos, através da internet, percebeu que poderia fazer mais e melhor.

Foto: trendhunter

Em 2017, 10 anos depois, temos uma população que não só sabe claramente o que quer como conhece, na sua grande maioria, os riscos de uma má alimentação, como evoluiu. Agora, quer produtos que lhe proporcionem bem-estar, ajudem no dia-a-dia e adaptados a si e ao seu estilo de vida.

Ora, as marcas nestes próximos 5 anos têm que corresponder. Não só, fazer a leitura do seu consumidor como apresentar algo inovador e que desperte a surpresa ou o inesperado ao seu consumidor.

Foto: trendhunter

A comunicação brilhará, com a estratégia certa, mas aqui as marcas têm que ter uma visão a 5 anos, validar um produto realmente interessante e saber de antemão que a sua substância terá que ser certeira. Ou seja, na hora de ir para o mercado a estratégia terá que funcionar de tal maneira que o seu consumo terá que ser um sucesso. Portanto, coadunar a necessidade de mercado com uma estratégia de comunicação 360º que permita alcançar o maior número de potenciais consumidores.

Os produtos de bem-estar, são capazes de comunicar por si só mas com tanta distracção no ponto de venda podem passar despercebidos. Com a rotina, com a falta de tempo e outros factores sociais podem ser um entrave à percepção de algo novo. Há que marcar, há que potenciar ao máximo.
Pronto para um novo projecto, agora com a tendência do momento?

Sem comentários:

Publicar um comentário